• Your Solutions

Pesquisa aponta Caribe como forte destino para férias de verão

Pesquisa mais recente da ForwardKeys revela que as perspectivas para viagens aéreas internacionais no verão do Hemisfério Norte (1º de junho a 31 de agosto) estão definidas para ser um pouco menos de um quarto (23%) dos níveis pré-pandêmicos.


Em 1º de junho, as passagens aéreas emitidas para chegadas internacionais na África e no Oriente Médio eram apenas 31% do que eram no mesmo período em 2019. As Américas ficaram com 38%, a Ásia-Pacífico com 7% e a Europa com 22%. A única região onde as viagens neste verão parecem saudáveis é o Caribe, onde as reservas chegam a 81%.


O tema dominante que explica o que está acontecendo com as viagens internacionais não é tanto a covid-19, mas a reação governamental ao vírus e às restrições de viagens impostas. Por exemplo, as reservas de verão para China, Japão (que não receberá turistas estrangeiros para as Olimpíadas), Tailândia e Austrália, que estão efetivamente fechados para visitantes, são de apenas 2%, 4%, 2% e 10%, respectivamente.


EUROPA

Em termos de viagens, a Europa pode esperar outro período em baixa, com a possível exceção da Albânia, com 73% dos níveis de 2019. Grécia (49%), Sérvia (38%), Islândia (35%) e Malta (35%) estão atualmente configurados para superar outros destinos regionais tradicionais. A Grécia e a Islândia, junto com a Croácia, têm manifestado constantemente seu entusiasmo pelos visitantes e têm feito promessas públicas de boas-vindas aos turistas que foram vacinados.


As reservas para Portugal se encontram atualmente em 32%. No entanto, após a decisão do Reino Unido de remover o país de sua lista verde, é provável que diminuam. Os mercados de origem mais fortes para viagens para destinos no Mediterrâneo são Alemanha, França e Estados Unidos, onde as reservas atuais estão em 37%, 42% e 24% dos níveis de 2019.


AMÉRICA CENTRAL E CARIBE

A única região do mundo onde uma quantidade significativa de viagens internacionais está ocorrendo são as Américas, impulsionadas principalmente por cidadãos dos EUA que viajam para o México, América Central e Caribe para passar férias e ligeiramente por latino-americanos que vão aos EUA para se vacinar.


Os destinos com forte desempenho nas apostas de reservas de verão incluem México (86% dos níveis de 2019), República Dominicana (83%) e Aruba (108%), que permaneceram abertos a turistas, e Bahamas (81%) e Porto Rico (140% à frente), que estão permitindo a entrada de viajantes vacinados sem restrições.


As reservas de verão para algumas partes da África Ocidental também estão se segurando relativamente bem, principalmente Gana e Nigéria (ambos em 73% dos níveis de 2019) e Senegal (77%). No entanto, nesses casos, as viagens são dominadas por pessoas que visitam amigos e parentes.


“Agora está claro que, para a maior parte do mundo, as férias de verão no exterior são um sonho e uma staycation é realidade. As empresas de viagens em geral, e as companhias aéreas em particular, enfrentarão perdas mais substanciais, já que muitos países combatem a covid-19 fechando suas fronteiras e impondo severas restrições aos voos internacionais. No entanto, alguns destinos, especialmente na América Central e no Caribe, que são altamente dependentes do Turismo, estão adotando uma abordagem alternativa. Ao exigir vacinação e/ou testes negativos, eles estão mostrando ao mundo que é possível ter uma temporada de verão”, diz o vice-presidente de Insights da empresa, Olivier Ponti.


Fonte: Panrotas

1 visualização0 comentário